UM BLOG APOIADO PELO INSTITUTO FRANCISCO SÁ CARNEIRO

03
Jul 09

 Ao contrário do que é muitas vezes referido, não só o PSD e o PS não são iguais, como existem profundas diferenças político-ideológicas entre eles desde o tempo da sua fundação.

No essencial podemos agrupar as principais clivagens em torno dos seguintes eixos:
-herança ideológica
-raízes programáticas
-alinhamentos políticos
-inserção externa
O objectivo dos próximos posts é analisar comparativamente o posicionamento dos dois partidos em cada um destes eixos de modo a identificar as suas diferenças desde as origens até à actualidade.
Começando pela herança ideológica e pelo PSD é possível identificar três origens distintas. Uma católico-progressista, ligada fundamentalmente a movimentos católicos que se constituíram em torno da oposição ao corporativismo do Estado Novo. Outra social-liberal, que deu origem à «ala liberal» na Assembleia Nacional, defensora da liberalização e democratização do regime. Finalmente, uma social-democrata, defensora do desenvolvimento económico ligado ao progresso social, representada na SEDES e, em menor grau, por um pequeno grupo de ex-apoiantes da CDE. (António José Telo, 2007, p.66; Marcelo Rebelo de Sousa, 2000, p.14).
 Já as origens do PS remontam a quatro heranças ideológicas: a dos socialistas da 1ª República; a dos grupos intelectuais reunidos em torno da Seara Nova e inspirados pelo socialismo de Antero e Fontana; a de antigos militantes do Partido Comunista Português, ou próximos deste; a dos movimentos estudantis dos anos 1960. (António José Telo, 2007, p.66; Maria José Stock, 1987).
No essencial, estas origens ideológicas distintas dos dois maiores partidos políticos portugueses reflectiram-se nos primeiros tempos, que coincidiram com a transição democrática portuguesa, no seu posicionamento face ao marxismo, em geral, e à questão da propriedade privada, em particular.
O próximo post é dedicado a esse assunto.
 
publicado por Tiago Moreira de Sá às 19:40

comentários:
...e ainda existe no PPD/PSD uma franja de militantes de Direita que foi impedida de se inscrever no CDS - ao tempo com o já invertebrado Freitas do Amaral como dirigente e colocado estrategicamente pelo MFA para controlar a "reacção", a reunião da Direita. Ou seja, o PPD/PSD passou a abrigar os apoiantes do Antigo Regime, profundamente católicos nacionais-tradicionalistas, anti-revolucionários e por conseguinte anti-comunistas e anti-socialistas. Quando não assumimos a História tal como ela "é" (what is) e julgamo-la como "deve ser" (what ought to be) ou temos vergonha dela, temos então preconceitos e complexos de esquerda e assim não se vai a lado nenhum.
α Veritas Ω a 4 de Julho de 2009 às 00:20

Muito interessante.

Convinha, se fosse possível, colocares as referências bibliográficas que citas. Ficava um post ainda mais útil.

Abraço,

DM
Diogo Moreira a 6 de Julho de 2009 às 13:38

Optei por pôr só o nome do autor, a data da obra e o número de página devido às limitações de espaço. Mas com esse elementos chega-se à referência. De resto, como sabes, as citações são cada vez mais dentro deste critério. Abraço

pesquisar
 
Últimos comentários
Se o balanço do trabalho do IFSC é claramente posi...
"Que o país quer genericamente mais do mesmo, é ev...
O foco neste momento são as autarquias. Penso que ...
http://osocratico.blogspot.com/2009/09/as-ultimas-...
Mais uma vez repito: o método dHhondt tem consequê...
Portugal valia o esforço de um homem de bem. Pelo ...
Esta não é a geração rasca mas diria mesmo que exi...
Confesso que estava com algum receio dos eventuais...
Concordo totalmente. Aliás, há vários dias - antes...
Excelente comentário, claro e sucinto, sobre a rea...
Twitter
subscrever feeds
Últimas ligações para este blog
Twingly Blog Search link:http://novaspoliticas.blogs.sapo.pt/ sort:published

Blog Política de Verdade

Banners

Novas Políticas

Novas Políticas