UM BLOG APOIADO PELO INSTITUTO FRANCISCO SÁ CARNEIRO

29
Jul 09

O programa eleitoral do PS propõe a criação de um subsídio de 200 euros para cada criança nascida em Portugal, valor que seria depositado numa conta a prazo e levantado quando a criança fizesse os 18 anos.

Para além desta ideia ser de um eleitoralismo descarado, daqueles a que o PS já nos habituou, quando analisada, descobrimos que esta medida só peca por defeito. Se olharmos para Espanha, a proposta semelhante, também de um governo socialista, atribui 2500 euros…

Há, claramente um efeito de propaganda – porque não creio que sejam 200 euros que irão fazer os Portugueses mudar de ideias em relação à política de filho único, infelizmente tão em voga no nosso País – e esta medida acaba por ficar aquém de uma verdadeira política de natalidade.

Falta uma verdadeira legislação laboral que seja amiga das famílias, que permita que uma mãe ou um pai não tenham que sair tarde e más horas do emprego para ir buscar os filhos; Faltam apoios sociais às famílias numerosas; Falta uma política integrada de creches e estabelecimentos de ensino disponíveis para quem queira aumentar a família; Falta uma política que incentive a natalidade, com licenças de parto à séria; Faltam incentivos fiscais e, nomeadamente, falta alterar a injusta penalização fiscal aos casais, que pagam mais do que se fossem solteiros; Faltam, no limite, dar as mesmas condições que são atribuídas pelo Estado às mulheres que decidem fazer uma Interrupção Voluntária de Gravidez.

Como sabemos, de boas intenções está o inferno cheio!

publicado por Francisco Mota Ferreira às 17:01

comentário:
Um Sonho chamado Família......

"A política que não se traduza em acções concretas que ajudem a melhorar a vida dos Portugueses e que favoreçam intenções que não são claras tornam o País mais pobre.
A sociedade forja-se na célula mais básica que é a família. A família constitui assim o átomo, partícula indivisível da sociedade. São os vários átomos que fazem com que a sociedade não acabe. A família exige um compromisso entre pais e filhos: Os pais asseguram a educação dos seus filhos através dos seus valores e disponibilizam os bens económicos necessários. Hoje assistimos a uma contradição! Para que o País continue a existir a taxa de natalidade tem que aumentar drasticamente obrigando a um compromisso entre pais e filhos, mas ao mesmo tempo a sociedade não quer fazer compromissos com os empregos que os pais têm. Cada vez mais tarde os jovens saem da casa dos pais dada a incerteza da estabilidade do emprego. E adiam com a esperança de uma situação profissional mais estável a criação da sua família. Muitos chegam aos 40 anos sem estabilidade profissional e sem constituição de família e em muitos casos pelas leis da natureza as mulheres deixam de estar aptas para terem filhos.
É realmente uma situação que pode levar ao desaparecimento da identidade nacional em poucas décadas. É preciso reverter a situação e encarar com objectividade e realismo o problema.
É possível contratos de trabalho rígidos? Penso que não, dada a globalização e a dinâmica a que isso obriga na economia de cada empresa. Existirá emprego para todos? Também penso que não devido à evolução tecnológica. Mas então o que pode ser feito? Simplesmente garantir que a família uma vez criada não depende para sobreviver dos empregos dos pais, isto é: quer estejam empregados ou não o estado tem que assegurar que existem os meios financeiros indispensáveis para que a família possa continuar o seu caminho. Esta é a chave para o equilíbrio e para a sobrevivência do País. Sem famílias o estado acaba por se auto-extinguir. E sem um estado forte que acompanhe e se empenhe com acções concretas, as famílias não têm sequer condições para nascer.
Cabe ao estado fazer com que a economia não se sobreponha à humanidade e a cada indivíduo e evitar que mesmo com resultados financeiros positivos não acabe por se auto-destruir.
"
Abel Mascarenhas a 29 de Julho de 2009 às 23:47

pesquisar
 
Últimos comentários
Se o balanço do trabalho do IFSC é claramente posi...
"Que o país quer genericamente mais do mesmo, é ev...
O foco neste momento são as autarquias. Penso que ...
http://osocratico.blogspot.com/2009/09/as-ultimas-...
Mais uma vez repito: o método dHhondt tem consequê...
Portugal valia o esforço de um homem de bem. Pelo ...
Esta não é a geração rasca mas diria mesmo que exi...
Confesso que estava com algum receio dos eventuais...
Concordo totalmente. Aliás, há vários dias - antes...
Excelente comentário, claro e sucinto, sobre a rea...
Twitter
subscrever feeds
Últimas ligações para este blog
Twingly Blog Search link:http://novaspoliticas.blogs.sapo.pt/ sort:published

Blog Política de Verdade

Banners

Novas Políticas

Novas Políticas